• Obras de Kardec

A edição de A Gênese adotada por Gabriel Delanne

Mais uma peça se junta ao quebra-cabeça da 5a edição de A Gênese


O museu AKOL – AllanKardec.online apresenta mais uma fonte primária relacionada ao assunto da 5ª edição de A Gênese.


Henri Sausse publica o seu artigo “Une Infamie” no jornal Le Spiritisme de número 19, da primeira quinzena de dezembro de 1884.


Sem apresentar sequer uma única prova de sua denúncia sobre a suposta adulteração da 5ª edição de A Gênese, se baseando apenas em um “ouvi dizer”, como ele mesmo relata na edição de número 23 do Le Spiritisme da primeira quinzena de fevereiro de 1885, página 6, em um texto dirigido à "Société scientifique du Spiritisme":

“Ce n'est pas comme vous le prétendez, un voyageur en calomnies qui m'a poussé à entreprendre les recherches dont j'ai publié le résultat, mais bien une conversation tenue un soir de l'hiver dernier par devant témoins avec un Lyonnais qui se dit ami personnel de M. Leymarie, et qui est em même temps un fervent adepte de J.-B. Roustaing.”
“Não é como você afirma, um viajante calunioso que me incitou a empreender a pesquisa da qual publiquei os resultados, mas uma conversa mantida uma noite no inverno passado na frente de testemunhas com um lionês, que diz que é amigo pessoal de Leymarie, e, ao mesmo tempo, um fervoroso seguidor de J.-B. Roustaing”

Sausse fez uma série de comparações entre a primeira edição de A Gênese com uma provável edição de 1872, e conclui que foram feitas “adulterações” na obra, relatadas no seu artigo da primeira quinzena de dezembro de 1884, sugerindo que Allan Kardec havia sido vendido para Roustaing, sem deixar isto explicitado no texto.


Apresentados os contra-argumentos no mesmo jornal, por parte de P.G. Leymarie, na edição de número 20, nas páginas 8 a 10, da segunda quinzena de dezembro de 1884, a acusação feita por Henri Sausse sobre a adulteração da obra A Gênese parece que não surtiu maiores efeitos entre a comunidade espírita da época, mesmo após a sua publicação em fevereiro de 1885.


Parece que nem mesmo Gabriel Delanne aceitou as acusações e as conclusões precipitadas de Henri Sausse.


Mas por que afirmamos isso? Podemos fundamentar através de um artigo do redator chefe – Gabriel Delanne – do jornal Le Spiritisme de número 22 – 4º ano – da segunda quinzena de janeiro de 1887.


O artigo denominado “Dissertation”, publicado nas páginas 236 e 237, traz os itens/parágrafos 15 a 20 do Capítulo XVIII da 5ª edição de A Gênese, com a seguinte “Note De La Rédaction – N.D.L.R.” (vide fotos):


“N. D. L. R. - Ce qui précède est extrait littéralement de la Genèse d'Allan Kardec, pages 456 à 459. Nous avons publié ces lignes, écrites il y a plus de vingt ans, afin de montrer qu'Allan Kardec n'était pas un retardataire et que ses ouvrages ne vieillissent pas.”
“N. D. L. R. - O texto acima foi tirado literalmente de A Gênese de Allan Kardec, páginas 456 a 459. Publicamos estas linhas, escritas há mais de vinte anos, a fim de mostrar que Allan Kardec não estava atrasado em suas ideias e que suas obras não envelhecem.”

Lembrando que segundo Henri Sausse:

“Toutes les parties de ce livre ont subi des mutilations plus ou moins graves, mais le chapitre XVIII : Les temps sont arrivés, est celui qui a été le-plus maltraité; les modifications qu'on y a apportées le rendent presque méconnaissable.”
Todas as partes deste livro foram submetidas a mutilações mais ou menos graves, mas o capítulo XVIII: Os tempos são chegados - é ele que foi o mais maltratado; as mudanças que foram feitas tornaram-no quase irreconhecível.

Para melhor esclarecer, Delanne - como redator chefe do jornal – reproduz textos do capítulo XVIII da 5ª edição (páginas 456 a 459) de A Gênese (vide fotos) para corroborar sua afirmação de que as ideias de Kardec e suas obras não estavam envelhecidas.


Muito tem se afirmado sobre a denúncia de Henri Sausse, que esta havia sido endossada por espíritas refratários aos desvios ocorridos no movimento espírita francês (principalmente aos desvios editoriais na Revista Espírita efetuados por P.G. Leymarie). Entre estes, que supostamente havia endossado a tal denúncia, estaria a figura de Gabriel Delanne.


Acreditamos que - dois anos após a denúncia de Henri Sausse - o referido texto publicado pelo redator chefe do Le Spiritisme (mais uma fonte primária que se junta a tantas outras já apresentadas) deixa mais claro o pensamento de Gabriel Delanne sobre este assunto.


O texto indica que Gabriel Delanne não aceitou as acusações e conclusões de Henry Sausse, e optou pelo texto da 5a edição para escrever o seu artigo, reconhecendo-o como sendo de Allan Kardec.


Trecho de A Gênese citado por Delanne disposto lado a lado (1a e 5a edição)


Esta pesquisa foi efetuada em parceria com o CSI do Espiritismo e www.ObrasdeKardec.com.br.


Referências:

1. Jornal de Spiritisme – 1883-1884; 1884-1885; 1885-1886; 1886-1887 -1887-1888 – 1889 e 1890 https://sites.google.com/.../revue.../revue-le-spiritisme...; 2. La Genèse – 1ª e 5ª edition.

0 visualização0 comentário