• Allan Kardec Online

Manuscritos inéditos sobre o livro A Gênese

Conselhos sobre A Gênese e Correção de A Gênese


Manuscrito - Conselhos sobre A Gênese


O manuscrito inédito datado de 22 de fevereiro de 1868 - Conseils sur La Genèse - do médium A. Desliens, da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, comprova que Allan Kardec recebeu conselhos sobre a revisão da obra A Gênese, onde destacamos no seu conteúdo:

  • Que a obra revisada deveria sofrer certas reorganizações que a tornarão valiosa sob o aspecto metódico.

  • Que fossem revisadas certas comparações dos primeiros capítulos (O Espírito não quis indicá-los de uma maneira mais especial, mas afirmou que relendo cuidadosamente os capítulos 2 e 3, eles certamente iriam saltar à vista).

  • Sobre a reimpressão que Kardec iria fazer (lembrando que o manuscrito é datado de 22/02/1868), o mestre pergunta se haveria de acrescentar algumas coisas, sem aumentar o volume, e se o Espírito achava que existiriam peças que poderiam ser removidas sem inconvenientes. E recebe a resposta de não havia absolutamente nada para tirar da doutrina, e que Kardec poderia, sem inconvenientes, condensar mais certas ideias que não precisam de desenvolvimento para ser entendidas, pois já teriam sido esboçadas em outro lugar. O Espírito afirma que Kardec poderia fazer isso, facilmente, no retrabalho da obra.

  • O Espírito instrui Kardec que deveriam deixar intactas todas as teorias que aparecem pela primeira vez aos olhos do público; para não tirar nada das ideias. E que Kardec poderia apenas para podar aqui e ali, desenvolvimentos que não acrescentavam nada à clareza. Afirma que Kardec será mais conciso, sem dúvida, mas igualmente compreensível, e é assim, era certo, que o mestre poderia adicionar elementos novos e urgentes.

  • Kardec recebe o conselho de que aquela revisão era um trabalho sério, e o Espírito, ainda, o aconselha a não esperar muito para realizá-lo.

  • Kardec é orientado a começar a trabalhar rapidamente (lembrando, novamente, que o manuscrito é datado de 22/02/1868), e instruído para ter o seu tempo para que as ideias fossem mais nítidas e para que o seu corpo se beneficiasse por estar menos cansado.

  • - Kardec faz considerações de que as vendas (referência à 1ª edição que estava sendo comercializada em 06/01/1868, e, provavelmente, da 2ª edição lançada em fevereiro do mesmo ano) estavam rápidas até aquele momento (lembrando novamente que o manuscrito é datado de 22/02/1868) e que o mestre acreditava que a 3ª e a 4ª edições levariam mais tempo para fluir. E, como se levava algum tempo para a revisão e a reimpressão, Kardec pergunta ao Espírito quanto tempo, aproximadamente, ele teria antes de agir, para não ser pego de surpresa. A resposta é de que ele deveria esperar um fluxo rápido (provavelmente se referindo à comercialização das 3ª e 4ª edições), pois, como já havia sido dito o livro seria um sucesso entre seus sucessos, tanto sucesso filosófico quanto material. O Espírito afirma a Kardec que eles estavam certos na previsão que fora dada, e, finalmente, instrui o mestre que ele estivesse pronto o tempo todo, e que ele deveria agir mais rápido do que ele pensava (a elaboração da revisão do livro A Gênese).

O manuscrito inédito de 18 de julho de 1868 – Correction de la Genèse - também do médium A. Desliens, relativo à comunicação recebido do Espírito do senhor Didier comprova que Allan Kardec estava efetuando a revisão do livro A Gênese, onde destacamos no seu conteúdo:

  • O Espírito do senhor Didier diz a Kardec que estava falando em nome dos demais Espíritos e que eles o haviam ajudado na revisão o máximo que puderam. E que Kardec, tanto por ele mesmo e pelas sugestões recebidas pelos Espíritos, havia conseguido tornar esses capítulos mais rápidos, sem ter alterado nenhuma ideia essencial (vale lembrar que este manuscrito é datado de 18/07/1868, e as informações do manuscrito informam sobre as ajudas recebidas dos Espíritos na revisão efetuada).

  • Didier instrui que estes seriam prolegômenos interessantes, sem dúvida, mas, no entanto, que Kardec se beneficiaria de um exame sério, com a eliminação de desenvolvimentos que não seriam de necessidade absoluta, e assim, o mestre conseguiria condensar uma quantidade maior de materiais no mesmo espaço. O Espírito orienta Kardec que, assim procedendo, será mais substancial e permanecerá muito explícito.

  • O Espírito de Didier instrui o mestre a proceder da mesma maneira que ele estava fazendo, e que assim sendo, fariam um bom trabalho. Orienta Kardec a não negligenciar as pequenas brochuras, mas que somente após A Gênese (a revisão da obra) eles falariam sobre isso.

Os manuscritos pertencem ao acervo do museu AllanKardec.online.




9 visualizações0 comentário