• Allan Kardec Online

Manuscrito Inédito de Allan Kardec - Catálogo Racional

O que a descoberta de uma simples folha de papel, contendo um manuscrito de Allan Kardec, pode proporcionar de informações para as nossas reflexões? (vide foto)





É isso que pretendemos abordar neste artigo, dando continuidade às pesquisas sobre o Catálogo Racional das obras para se fundar uma Biblioteca Espírita, de Allan Kardec, após a última publicação sobre as várias edições conhecidas daquele livreto, e as suas respectivas análises, bem como, a exposição de algumas conclusões. (https://www.facebook.com/allankardec.online/posts/124995225781036)


Algumas obras publicadas nas várias edições do Catálogo Racional existentes sempre geraram alguns questionamentos no movimento espírita. São elas: Évangiles (Les quatre), suivis des Commandements, expliqués en esprit et en vérité par les Evangélistes, par ROUSTAING; Révélations du monde des Esprits, par ROZE; e de Michel (de Figagnères, Var), La Clef de la vie.


Passamos analisar cada uma delas, de forma a provocar algumas reflexões.


Com relação à obra Les Quatre Évangiles de J.B. Roustaing:

  • O livro foi publicado em 1866, e, já, na Revista Espírita de junho daquele ano - Notas Bibliográficas – Os Evangelhos Explicados pelo Sr. Roustaing – Kardec faz críticas dizendo, entre outras coisas:

“Dissemos que o livro do Sr. Roustaing não se afasta dos princípios de O Livro dos Espíritos e de O Livro dos Médiuns. Nossas observações assentam sobre a aplicação desses mesmos princípios à interpretação de certos fatos. É assim, por exemplo, que ele dá ao Cristo, em vez de um corpo carnal, um corpo fluídico concretizado, tendo todas as aparências da materialidade, e dele faz um agênere.”

“Sem a prejulgar, diremos que já foram feitas sérias objeções a essa teoria, e que, em nossa opinião, os fatos podem perfeitamente ser explicados sem sair das condições da humanidade corporal.”

“Estas observações, subordinadas à sanção do futuro, em nada diminuem a importância desta obra, que, ao lado de coisas duvidosas, em nosso ponto de vista, encerra outras incontestavelmente boas e verdadeiras, e será consultada com proveito pelos espíritas sérios.”

“Achamos que certas partes são desenvolvidas muito extensamente, sem proveito para a clareza. Achamos que certas partes são desenvolvidas muito extensamente, sem proveito para a clareza.”

  • Em 27 de janeiro de 1867, o jornal La Vérité publicou um texto de Philalétès (pseudônimo de Anne Jacques André Pezzani), que faz menção ao docetismo, em um artigo em resposta ao senhor de Mirville (Marquês de Mirville - Charles, Jules Eudes de Catteville de Mirville – 1802-1873 - autor do livro “Des Esprits”). Este artigo finalizou uma série de correspondências trocadas pelos Srs. de Mirville e Philalétès (A. Pezzani, do jornal La Vérité de Lyon).

  • Em 1882, os alunos/discípulos de Roustaing atacaram veementemente Kardec na obra denominada "Os Quatro Evangelhos de J.-B. Roustaing - Resposta a seus críticos e a seus adversários", acusando-o, entre outras coisas, de haver aplicado o termo docetismo sobre as teorias do livro Os Quatro Evangelhos. “Allan Kardec, nas suas conversações e nos seus escritos, manifestava essa pretensão, de tachar de Docetismo (doutrina errônea, falsa e condenada) tudo o que tendesse a provar que o Cristo não teve mais que um corpo fluídico durante sua jornada na terra; os quatro Evangelhos de J.- B. Roustaing eram diretamente objetivados por essa apreciação. No jornal Le Vérité, Philalétès falava de Docetismo; Allan Kardec se apoderou dessa expressão para aplicá-la à nossa obra. Responderemos a essa pretensão, a essa insinuação que, se não é intencional, prova que o autor do sistema preconcebido não conhecia a doutrina dos Docetas, pois que a considerava semelhante à nossa.”

  • Em 1883, a Union Spirite Française publicou uma resposta ao livro acima descrito, e que foi denominado “J.B. Roustaing devant le Spiritisme – Réponse a ses Éleves” (tradução que pode ser encontrada em http://www.luzespirita.org.br/leitura/pdf/L165.pdf).

  • Em todos os exemplares encontrados do livreto “Catálogo Racional”, e que foram relacionados na nossa última pesquisa, (https://www.facebook.com/allankardec.online/posts/124995225781036), foi encontrada a seguinte observação sobre a obra Os Quatro Evangelhos: “A teoria formulada nesta obra sobre a natureza fluídica do corpo de Jesus, que não teria nascido e sofrido senão em aparência, é a mesma dos docetistas e dos apolinaristas dos primeiros séculos da Era Cristã. (Sobre essa teoria, vide A Gênese segundo o Espiritismo, capítulo XV, números 64 e 68)”.

  • Devemos lembrar que os itens 64 a 68 do capítulo XV, do livro A Gênese, só existem nas quatro primeiras edições deste livro. A menção aos docetas só aparecerá na 5ª edição desta obra, acrescentado ao final daquele capítulo, ao item 67, que corresponde ao item 68 da edição anterior: “Tinham a mesma crença os docetas (do grego dokéō, aparecer), seita numerosa dos Gnósticos, que subsistiu durante os três primeiros séculos.”


Como podemos observar, Roustaing e seus discípulos acusaram Kardec de denomina-los, e a sua obra, de docetas/docetistas. Toda a bibliografia acima mostra isso. Um questionamento que deixamos para as devidas reflexões: -Teria Kardec inserido esta informação no Catálogo Racional, na edição que circulou em abril de 1869? Sabemos, que nas impressões seguintes do Catálogo Racional, esta informação está presente. Uma coisa não podemos negar: a informação, que foi acrescentada ao final do item 67, do Capítulo XV, da 5ª edição do livro A Gênese, está totalmente em consonância com a cronologia e em sintonia com os fatos apresentados.


Vamos inverter a ordem de apresentação da obra no Catálogo Racional, e vamos analisar, primeiramente, a obra de Michel (de Figagnères, Var) - La Clef de la vie:

  • Este livro teve a 1ª edição publicada em 1857, e no seu capítulo XII ele trata das Considérations sur la Formation des Mondes et Transformation des Grands Corps - Considerações sobre a formação dos mundos e transformação de grandes corpos. No capítulo XIII temos Considération Générales Supplémentaires sur la Formation des Mondes - Considerações gerais adicionais sobre a formação dos mundos.

  • Na Revista Espírita de setembro de 1868, no artigo denominado Alma da Terra, Kardec escreve sobre a teoria (de Figagnères ) da Alma da Terra. Esta teoria vai aparecer de forma resumida no item acrescentado de número 7, do Capítulo VIII, na 5ª edição do livro a Gênese, por ter relação e pertinência com a teoria da formação da Terra, conhecida como Teoria da Incrustação.

  • Sobre esta obra, temos em todas as edições encontradas do Catálogo Racional, e informadas na pesquisa anterior, a seguinte observação: “Estranho sistema de cosmogonia e teogonia universais, ditado ao Sr. Michel, em estado de êxtase. Esse livro, escrito no início das manifestações (esta informação se refere ao início dos relatos de manifestações de espíritos), coincide em certos pontos com a Doutrina Espírita (mostrando a coerência de alguns pontos da obra com a Doutrina Espírita), mas em sua maior parte está em contradição com os dados da ciência e o ensino geral dos Espíritos. (Vide A Gênese segundo o Espiritismo, cap. VIII, nº de 4 a 7)”. (vide foto)

Passemos a analisar a obra Révélations du monde des Esprits do Sr. Roze:

"Quanto à obra do Sr. Roze e às teorias que contém, elas estão completamente fora do ensino geral dos Espíritos e não são mais aceitas por nenhum espírita sério. As descrições que são feitas de mundos diferentes são puramente hipotéticas e não podem ser submetidas a nenhum controle sério. Estas são as opiniões de um Espírito, opiniões tão discutíveis quanto às de qualquer ser pensante, a maioria das quais são ilógicas e não podem ser escrutinadas. As assinaturas dessas comunicações são obviamente apócrifas."

  • Ainda, a referida pesquisa localizou na Revista Espiritualista de 1862 - (https://www.facebook.com/HistoriaDoEspiritismo/posts/397399487690506) - uma carta do Sr. Salgues, que fala do Sr. Roze e de Kardec: "O Sr. Rivail pelo menos reencarna nossas almas apenas em corpos de homens. Mas o Sr. Roze, c/ seus Espíritos, vai mais longe. Ele afirma q nossas primeiras reencarnações acontecem em animais, primeiro em animálculos microscópicos... o Sr. Roze, ou melhor, seu professor celestial, assegura-nos q temos começado pelo mineral, depois zoófitos... passando... pelos ácaros, pelos piolhos, pelas pulgas...; e alhures, macacos, etc...". E continua: "Mas eu acho difícil termos sido mônadas, piolhos, pulgas ou insetos, antes de sermos homens. É porque estas pestes vivem apenas às nossas custas, e q, p/ q haja ácaros, deve haver os queijos nos quais esses insetos se alimentam e, consequentemente, os homens q os produzem".

  • A informação colocada em todas as edições localizadas do Catálogo Racional, sobre esta obra, é: “Teoria cosmogônicas e psicológicas notoriamente contraditadas pela Ciência e pelo ensino geral dos Espíritos, e que a Doutrina Espírita não pode admitir.”

A existência do manuscrito inédito de Kardec, que é um ‘rascunho” de uma parte do Catalogue Raisonné des Ouvrages Pouvant Servir a Fonder Une Bibliothèque Spirite, é a fonte primária que faltava para provar que a obra “Révélations du monde des Esprits”, do Sr. Roze, foi incluída pelo próprio Allan Kardec no Catálogo Racional, estando presente desde a primeira impressão deste livreto. (vide foto)


Podemos fazer mais algumas observações conclusivas.


É fato também que esta obra do Sr. Roze, bem como, Les Quatre Évangiles e La Clef de la vie, estão no Catálogo Racional na parte II – Obras Diversas sobre o espiritismo ou Complementares da Doutrina.


É fato, também, que estas obras não são obras Espíritas, doutrinariamente falando, como fica evidente nas observações colocadas no Catálogo Racional (e que consta deste manuscrito inédito, com relação à obra do Sr. Roze).


Podemos concluir que, o entendimento de Kardec, para as chamadas obras complementares da Doutrina Espírita, mostra um sentido diferente do que comumente é aplicado pelo movimento espírita. Hoje, se entende que o que contradiz não pode complementar, e vemos nas escritas do mestre, colocados neste manuscrito, que muitas obras, apesar de conter, uma parte ou integralmente, teorias/filosofias contrárias, podem nos ser úteis e nos ajudar à compreensão da Doutrina Espírita, tanto que Allan Kardec as lista como Obras Diversas sobe o Espiritismo ou Complementares da Doutrina.


O fato da existência da observação (sobre a natureza fluídica do corpo de Jesus, que não teria nascido e sofrido senão em aparência, ser a mesma dos docetistas) no Catálogo Racional, sobre a obra Os Quatro Evangelhos - “Sobre essa teoria, vide A Gênese segundo o Espiritismo, capítulo XV, números 64 a 68 ” - é um mistério, ainda. Muitas explicações podem ser dadas, inclusive, a que achamos a mais coerente, por tudo o que foi exposto. A de que Kardec a tenha acrescentado ao final do item 67 do Capítulo XV da 5ª edição do livro A Gênese, pois isto estaria em total consonância com os fatos apresentados.


E, por fim, sobre a obra de Michel (de Figagnères, Var) - La Clef de la vie, entendemos que Kardec, salvo uma prova em contrário, descreveu que esse livro coincidia em certos pontos com a Doutrina Espírita, apesar que a sua maior parte está em contradição com os dados da ciência e o ensino geral dos Espíritos; e, exatamente, o que Kardec entendeu ser coincidente, ele colocou no livro A Gênese, no Capítulo VIII, números de 4 a 7.


Por fim, e não menos importante, o manuscrito inédito Kardec (rascunho de uma parte do Catálogo Racional) traz as seguintes obras:

  1. Recherches sur les causes de l'athéisme, en réponse à la brochure de Mgr Dupanloup, par une catholique. - Broch. in-8, 1 fr. 25 c. ; franco, 1 fr. 40 c. Paris, Henri, Palais-Royal. (Revue spirite, juin 1867, p. 192.)

  2. Révélation sur ma vie surnaturelle, par DUNGLAS HOME. - 1 vol. in12, 3 fr. 50 c. Paris, Didier. (Revue spirite, septembre 1863, p. 281.)

  3. Dozon (HENRI). Révélations d'outre-tombe. - 4 vol. in-12, 4 fr. ; franco, 5 fr. 20 c. Recueil d'instructions tendant à l'union du Catholicisme et du Spiritisme, empreintes d'un profond sentiment religieux et d'une haute moralité, avec de nombreuses prières dictées par les Esprits. (Revue spirite, janvier 1862, page 29.)

  4. Spiritisme (Le) dans la Bible, Essai sur les idées psychologiques des anciens Hébreux, par H. STECKI. – 1 vol. in-12, 1 fr. ; Paris, Librairie internationale. L'auteur a recueilli et commenté les passages de la Bible, qui ont des rapports avec le Spiritisme. (Revue spirite, novembre 1868, page 350.)

  5. Spiritisme (Le) devant la raison, conférence, par V. TOURNIER, ancien journaliste. - Br. in-18, 1 fr. ; franco, 1 fr. 25 c. Carcassonne, Lajoux ; Toulouse, Bompart. (Revue spirite, mars 1868, p. 94.)

  6. Tables tournantes (Des), par AGÉNOR de GASPARIN. 1854. – 2 vol, in 12


Referências:

1. Livro La Clef de la vie - de Figagnères, Var https://books.google.fr/books?id=AOoOAAAAQAAJ... 2. Segundo e Terceiro volume dos livros Révélations du monde des Esprits, de ROZE – Livros que pertencem ao museu AllanLKardec.online 3. Livro Évangiles (Les quatre), suivis des Commandements, expliqués en esprit et en vérité par les Evangélistes, de ROUSTAING – Livro pertencente ao museu AllanKArdec.online 4. Catálogos Racionais que estão anexadas às obras listadas na pesquisa anterior (https://www.facebook.com/allankardec.online/posts/124995225781036?__tn__=K-R) 5. CSI do Espiritismo - https://www.facebook.com/HistoriaDoEspiritismo/posts/672952660135186 6. CSI do Espiritismo - https://www.facebook.com/HistoriaDoEspiritismo/posts/396892391074549 7. CSI do Espiritismo - https://www.facebook.com/notes/imagens-e-registros-hist%C3%B3ricos-do-espiritismo/srta-ermance-sr-roze-sra-cazemajour-e-sr-a-didier/502690823828038/ 8. CSI do Espiritismo - https://www.facebook.com/HistoriaDoEspiritismo/posts/397399487690506 9. http://www.luzespirita.org.br/leitura/pdf/L165.pdf 10. Assuntos Controversos da Doutrina Espírita – Zadorosny 11. Entrevista com Jorge Brito e Samuel Magalhães sobre A gênese, de Allan Kardec - https://www.febnet.org.br/.../a-genese-os-milagres-e-as.../

4 visualizações0 comentário